Quer saber como escolher o curso certo para a sua carreira?

Carreira

Oratória: o que é e 10 dicas para melhorar a sua!

23 janeiro, 2020

A oratória é uma poderosa ferramenta de comunicação. Falar bem em público é fundamental, tanto na carreira profissional quanto na vida pessoal.

Envolver pessoas por meio de palavras é um grande desafio e, para muitos, uma verdadeira tortura. O medo de falar em público (conhecido como glossofobia) atinge grande parte da população mundial. 

Este receio impacta diretamente no desenvolvimento do indivíduo, uma vez que visões mundo, impressões e conhecimento não são partilhados com um determinada audiência ou com a comunidade.

Insegurança, falta de prática ou experiências negativas passadas são as principais causas dessa fobia. O primeiro passo para trabalhar essas questões é delineando objetivos claros, que podem transformar sua carreira e melhorar suas relações pessoais.

Você sabe qual é a origem da oratória? Entenda a importância de dominar essa técnica e saiba como aprimorar suas habilidades!

O que é oratória?

É um conjunto de técnicas e regras que tem como objetivo estruturar um discurso que influencie, eduque e entretenha outras pessoas. A arte de elaborar uma linguagem persuasiva e eficaz é denominada retórica.

O primeiro registro que se tem sobre a arte de falar bem em público ocorreu no antigo Egito. Mas foi na Grécia Antiga que o conceito passou a ser visto como ciência.

Na Antiguidade Clássica, tanto grega quanto romana, a oratória era estudada como componente da retórica. Aristóteles, Cícero e Quintiliano estão entre os autores que estudaram o tema. A técnica se voltava tanto para a vida pública quanto privada: uma boa oratória era considerada uma habilidade fundamental.

Existe um mito disseminado que consiste em afirmar que “a oratória é um dom, privilégio para poucos, a pessoa nasce com o talento”. A verdade é que se trata de uma habilidade e, como tal, pode ser adquirida pela prática e conhecimento necessários!

São exemplos de grandes oradores Martin Luther King, Winston Churchill, Steve Jobs, Hillary Clinton e Emma Watson.

10 dicas para ter uma boa oratória

1. Preparo psicológico

Nervoso, insegurança, medo, ansiedade, pânico: essas são as palavras que muitos utilizam para expressar sentimentos quando o assunto é falar em público. 

Portanto, o primeiro passo é trabalhar obstáculos psicológicos, construindo autoconfiança e uma autoimagem positiva. Controlar pensamentos negativos é uma das formas de elaborar um plano de ação e perder a fobia de uma vez por todas!

2. Planejamento

Prever questionamentos, criar argumentos convincentes, sustentar ideias e impactar pessoas exigem um planejamento cuidadoso. Utilize mapas mentais para conectar conceitos, estabelecer comparações e gerar insights.

Estabeleça um objetivo claro na sua missão de conquistar uma boa oratória e, a partir dele, elabore um planejamento estratégico. Documente ao máximo qualquer sacada ou referência que possa enriquecer sua experiência.

3. Postura e linguagem corporal

O corpo fala, e saber controlá-lo é essencial! Relaxe os ombros, cotovelos e pescoço, mantendo a coluna reta. Mantenha congruência entre seu discurso e sua expressão facial, a fim de transmitir emoção de forma convincente e natural.

Evite exageros e seja você mesmo: o público consegue detectar um discurso genuíno de uma performance.

4. Leitura constante

O hábito da leitura nos ajuda a construir vocabulário, fornece dados e fatos que ajudam a embasar ideias e argumentos, abre novas possibilidades de assuntos a serem abordados e fornece fontes confiáveis e científicas.

Consultar textos, ler notícias, pesquisar tendências: tudo isso é possível por meio de leitura constante, seja por meio de materiais físicos ou digitais, como e-books ou audiobooks. 

Manter-se atualizado e familiarizado com temas diversos ajuda a criar conexões com o público, gerando identificação e credibilidade.

5. Conheça sua audiência

Antes de falar em público, considere quem faz parte da plateia. Quem são essas pessoas? Qual é a faixa etária? Ela é favorável ou contra à sua fala? Você está pronto para lidar com objeções de forma cordial,não-violenta e argumentativa?

Ao saber exatamente com quem você está se comunicando, fica mais fácil criar um planejamento eficaz e evitar situações constrangedoras!

6. Evite vícios de linguagem/gestos involuntários

Evite gestos involuntários, como mexer excessivamente na barba ou no cabelo, bem como vícios de linguagem, os famosos “né, tipo assim, tá” que marcam tópicos frasais.

Tanto um quanto o outro desviam o foco da apresentação, transmitindo desconforto e excesso de informalidade. Os gestos involuntários podem ser evitados com uso de acessórios menores como brincos ou colares, prender o cabelo e dobrar a manga da camisa antes da apresentação. 

Já os vícios de linguagem podem ser substituídos por pausas de 1 a 3 segundos entre as sentenças. Assim, você mantém a ordem lógica da sua fala e permite que o público absorva facilmente o conteúdo.

7. Envolva, encante, emocione

Dê exemplos reais, colete depoimentos que deem um toque humano ao seu discurso, crie narrativas envolventes com citações ou referências universais. 

Não poupe esforços em contar uma história envolvente e emocionante. Use e abuse de recursos de storytelling para transmitir uma mensagem. Quanto mais impactante, melhor: ao emocionar pessoas, você cria um vínculo de pertencimento e identificação, tornando sua imagem positiva, marcante e inspiradora.

8. Suscite dúvidas

Quando um orador precisa refutar um opositor, é necessário ir até o argumento primário e destruí-lo. Questione cada elemento e suscite dúvidas, para que o público reflita e reconheça seu bom senso.

Não ignore ideias opostas: um bom orador precisa transmitir equilíbrio, a fim de gerar confiança e autoridade.

9. Criar argumentos sólidos e convincentes

Embase suas ideias com dados e fatos reais, citando fontes e crie o hábito de elaborar mapas mentais para deixar conceitos, problemas e soluções mais visuais.

Utilize palavras de transição para conduzir sua fala, como “portanto, sendo assim, diante desses fatos, visto que” para ajudar no fluxo lógico e manter o foco.

10. Interação

Além de saber falar em público, sabia ouvi-lo: promova a interação para engajar a plateia, quebrar o gelo e enriquecer ainda mais a experiência. Faça contato visual, tenha empatia e convide as pessoas para reflexão.

Além de se preocupar na forma do seu conteúdo e no tom de voz, humanize sua comunicação e interaja com o público, por meio de perguntas ou brincadeiras saudáveis.
Viu como é possível construir uma boa oratória? Ao contrário do que muitos imaginam, não se nasce com esse talento: a habilidade pode ser aprendida com estudo e prática. Saiba como se destacar na carreira e desperte o líder que tem dentro de você!

Newsletter VX Comunicação

Quer saber como escolher o curso certo para a sua carreira?